A empatia como exercício de evolução; Com vídeos

Reprodução - internet
Muitas vezes a diversidade ou até mesmo o antagonismo de opiniões acontece pela existência de diferentes pontos de vista, ou seja, as pessoas têm acesso a apenas uma versão dos fatos, a apenas a visão de um dos lados do objeto questionado

Felizmente em nossa época, no contexto no qual vivemos, mesmo com todas as ameaças à liberdade de expressão, ainda assim a empatia existe e resiste, bem como a diversidade de opiniões que é tão necessária para o desenvolvimento de uma sociedade. E reforço: ela existe e resiste! E assim deve continuar, não podemos nos calar!

Contudo, quando se existe liberdade de expressão, quando existe acesso a informação, inevitavelmente, as pessoas passam a ter diferentes tipos de opiniões, sendo um produto do contexto social e econômico, do ambiente familiar, da época em que nasceram e que viveram, dos acontecimentos históricos… Ou seja, um conjunto de fatores que culminam em uma determinada formação de opinião, em uma determinada conclusão, em uma diferente forma de enxergar a vida e/ou até um acontecimento específico.

Conforme os pensamento de dois grandes filósofos:

Eu jamais iria para a fogueira por uma opinião minha, afinal, não tenho certeza alguma. Porém, eu iria pelo direito de ter e mudar de opinião, quantas vezes eu quisesse.
(Friedrich Nietzsche)
Posso não concordar com o que você diz, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo.
(Voltaire)

Além disso, muitas vezes a diversidade ou até mesmo o antagonismo de opiniões acontece pela existência de diferentes pontos de vista, ou seja, as pessoas têm acesso a apenas uma versão dos fatos, a apenas a visão de um dos lados do objeto questionado, assim como a imagem abaixo:

Fonte: https://forum.pim.be/topic-291053-tout-est-question-de-point-de-vue-page-1.html

Observando essa imagem, torna-se uma ilustração do mencionado anteriormente (diferentes pontos de vista). E por isso fica visível a necessidade da atuação do exercício de empatia, da capacidade de se colocar no lugar dos outros e se necessário procurar ajudar da melhor forma possível. Também é fundamental a presença de diferentes pontos de vista, pois esses são como alavancas para nossa evolução. Afinal, muitas vezes a solução fica visível quando mudamos o foco ou alteramos o ângulo. Assim como sair da zona de conforto, que nos faz refletir sobre diferentes perspectivas, onde é possível alcançar diferentes resultados através de diferentes ações.

Logo, à luz de todo esse exposto fica evidente que ao praticar a empatia, ou seja, a ação de se colocar no lugar do outro, nos traz evolução, pois, passamos a enxergar as situações/fatos através de outro viés, que nos leva a vales de reflexão no qual temos a oportunidade de estar em constante evolução.

Jéssica Carpim Ambar

Analista de sistemas na GFT Brasil; Voluntária no projeto Meu Futuro Digital; Escritora no Meu Professor CNN

Conteúdos Extra