Um chamado à empatia na profissão, pela vitória: Professor universitário e seus alunos

por Nathalie de la Cadena

Foto Reproduzida da internet

Dar aulas para os primeiros períodos e anos na Universidade exige uma dose de paciência e generosidade. Paciência para ensinar, repetir e explicar aquilo que para os professores é básico, mas é a fundação para se construir um conhecimento sólido. Generosidade para mostrar os erros de argumentação sem impor um ponto de vista, deixando o aluno construir seu convencimento. Só torcemos para que seja coerente!

Logo o aluno se dá conta do quanto não sabe e o quanto há para estudar e aprender e passa a exigir. Aqui o professor começa a ganhar. Temos que estudar, pesquisar, atualizar os conteúdos, pesquisar novas abordagens, interpretações, aplicações, críticas, técnicas e teorias, aprender sobre novas tecnologias e ferramentas. Até nossos exemplos precisam ser atualizados. Não adianta citar aquele filme de 20 anos atrás, ou aquela música dos anos 80 que eles não fazem a menor ideia do que vc está falando. (rsrsrs)

Os alunos viram parceiros em pesquisas e projetos e começam a querer voar, mas ainda precisam de um empurrão para elaborar a proposta de maneira clara e exequível. Creem que podem estudar Platão em 2 anos de Mestrado, é difícil convencer que não dá tempo. Aceitam meio a contra gosto, mas depois veem que é preciso delimitar o tema, circunscrever a bibliografia, elaborar um argumento, ter uma estrutura de projeto, tempo para ler tudo e escrever, escrever e reescrever. Hoje em dia, gravar, gravar e regravar…

Vem a fase de publicação e a busca de um lugar ao Sol. O professor tem que ser muito generoso. Damos os ombros para nossos alunos subirem. Já conquistamos nosso lugar e agora é a vez deles buscarem o deles. O professor não pode sonegar informação. Tem que compartilhar o que sabe. Afinal, a satisfação de um professor é ver seus alunos conquistando espaços.

No final, todos ganham!


A imagem pode conter: 1 pessoa, texto que diz "Phil Drops"
Reprodução – Facebook – Legenda: Estreou hoje (25.06.2020) o PHIL DROPS, um canal de FILOSOFIA no YOU TUBE com conteúdo curto e fácil sem perder o compromisso com a verdade e a coerência.

– Nathalie de la Cadena é professora da Universidade Federal de Juiz de Fora – Departamento de Filosofia. Doutora em Direito pela Universidad de Valladolid – Espanha (2016). Pós-doutorado em Filosofia na Durham University – Inglaterra (2014-2015). Doutora em Filosofia pela UFRJ (2010). Suficiência Investigadora pela Universidade de Valladolid – España (2008). Mestre em Filosofia pela UFRJ (2005). Bacharel em Filosofia pela UFRJ (2006). Advogada. Bacharel em Direito pela Universidade Cândido Mendes (2002). Professora do Programa de Pós-graduação em Filosofia (PPGFIL-UFJF). Professora do Programa de Pós-graduação em Direito e Inovação (PPGDIR-UFJF). Membro da AFFEN (Associação Portuguesa de Filosofia fenomenológica). Membro do Conselho editorial da Revista Ética e Filosofia Política.
 (Texto informado pela professora, reproduzido da plataforma Lattes)


Post Original:

Professor universitário e seus alunosDar aulas para os primeiros períodos e anos na Universidade exige uma dose de…

Publicado por Nathalie de la Cadena em Sábado, 15 de agosto de 2020